Congresso Mundial FIVB
 
Dr. Acosta apela a um progresso continuo
Oporto, Portugal, 12 de mayo de 2004 – O Presidente da Federação Internacional de Voleibol, Dr. Rubén Acosta apelou para um esforço colectivo na ajuda progressiva no interesse de Voleibol e Voleibol de Praia no seu discurso de abertura do 29º Congresso Mundial no Porto, nesta quarta-feira.

“Estamos muito orgulhosos do que alcançamos em 20 anos, desde que fui eleito Presidente pela primeira vez”, referiu o Dr. Acosta. “A FIVB despendeu mais de 350 milhões de francos suíços em actividades desportivas e tornou-se agora numa das mais importantes Federações Internacionais.

“Temos de trabalhar todos em conjunto e jogar pelas mesmas regras, e cada um de nós tem de agarrar cada oportunidade para aumentar o interesse no Voleibol e no Voleibol de Praia nos nossos países e Confederações Continentais e globalmente.

“Pedimo-lhes que passem palavra sobre a maneira como a FIVB está determinada a assegurar a continuação e o crescimento do sucesso do Voleibol e do Voleibol de Praia.”

O seu discurso foi feito frente a uma sala cheia, na manhã de abertura do Congresso, que terá a duração de dois dias no Hotel Sheraton no Porto, que inclui uma agenda impressionante, na qual se poderá encontrar relatórios de 10 Comissões de trabalho e os quatro Conselhos (Eventos Desportivos, Liga Mundial, Grande Prémio Mundial e Voleibol de Praia) da Federação Internacional de Voleibol, bem como as várias propostas mantidas pelo Comité Executivo em Acapulco em Janeiro.

Um dos documentos mais importantes a ser apresentado no Congresso, que é organizado a cada dois anos, será o Código de Conduta da FIVB, um documento que foi reestruturado e revisto, ponto por ponto, de modo a assegurar que está de acordo, entre outros pontos fulcrais, com os elevados princípios éticos e de conflitos de interesse.

“O nosso Código deve ser respeitado a todos os níveis do nosso desporto, e se descobrirmos falhas no Código, devemos investigar com imparcialidade e acuidade, não tendo medo de tomar as medidas necessárias mesmo que tal possa afectar a nossa imagem”, referiu Dr. Acosta.

Este documento recolheu elogios por parte do COI e é visto como exemplo para federações internacionais desportivas numa era em que não pode existir compromisso no comportamento moral e nos princípios éticos.

Os membros do Congresso irão também analisar os relatório da Comissão Financeira que irá providenciar evidências da situação financeira saudável da instituição e o supervisionamento e claridade das contas.