Nascida no Havaí, a atleta — que competiu em três Olimpíadas e
foi escolhida a melhor jogadora de 2011 nos EUA — tem planos
de formar uma sociedade com amigas e abrir uma butique em Los
Angeles, a cidade onde mora. No entanto, ela não descarta um
retorno às quadras em algum momento.
Quero fazer algumas coisas que são muito diferentes do voleibol”,
explicou Berg. “A coisa mais fácil seria provavelmente me tornar
treinadora, e acho que seria boa nisso. Mas me dediquei tanto a
jogar que agora preciso de um pequeno intervalo. Não posso dizer
que nunca retornarei, mas agora preciso seguir em frente.”
Vou parar, joguei com coração e alma e obtive resultados
incríveis, além do que imaginei um dia”
A seleção dos EUA, de Berg, encara com espírito esportivo a decepção na final
31