FIVB VolleyWorld 9/2013 - Portuguese - page 1

SUMÁRIO
/ VOLLEYWORLD / N
o
09 / 2013
Foto de capa
O Brasil comemora o nono título do
Grand Prix Mundial ao bater a China na
final de 2013 em Sapporo, no Japão
Comitê Gerencial e
Editorial da Publicação
Fédération Internationale
de Volleyball
Château Les Tourelles
Edouard-Sandoz 2-4,
1006 Lausanne, Suíça
Tel. 0041-21-3453535
Fax 0041-21-3453545
Diretor do Departamento
de Imprensa
Richard Baker
Editor-Chefe
Jeremy Inson e Lars Becker
Projeto gráfico e Layout
amethys.ch
Tradução
Libero Language Lab
Reprodução
A reprodução de qualquer
artigo ou parte da revista é
autorizada desde que a fonte
seja citada explicitamente
Contribuições
São aceitos artigos nos idiomas
francês e inglês
Email:
Fotografia
Arquivos da FIVB
A
VolleyWorld
pode ser lida nas
versões em inglês, árabe, francês,
português, espanhol e russo no
endereço
As opiniões expressas na revista
VolleyWorld
não são necessariamente
as da FIVB ou dos seus dirigentes.
O conteúdo desta publicação
se baseia nas melhores informações
disponíveis no momento da
redação dos artigos.
2
4
8
12
14
16
22
AVC
23
23
CEV
24
CSV
24
22
Mais uma vez, os fãs do vôlei receberam um verdadeiro
banquete com tudo o que há de maior no esporte
no recém-concluído Grand Prix Mundial da FIVB em
Sapporo, no Japão.
As arquibancadas estiveram repletas de torcedores
apaixonados e entendedores de tudo o que ocorre no
voleibol. Na quadra, as jogadoras levaram o esporte a
novas alturas, em jogos espetaculares que encantaram
torcedores nos ginásios e pela televisão.
Campeã olímpica em Londres 2012, a seleção brasileira
feminina repetiu o triunfo masculino na Liga Mundial
da FIVB. No momento, Brasil e Rússia são as grandes
potências mundiais tanto no vôlei masculino quanto no
feminino, mas não há dúvidas que outras equipes já
estão redobrando os esforços para derrubá-los do topo
até os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.
O Grand Prix Mundial — assim como a Liga Mundial
e o Campeonato Mundial de Vôlei de Praia da FIVB
— proporcionou momentos de habilidade, emoção e
drama. Em cada um desses torneios, novas histórias
e heróis emergiram para inspirar e entreter uma nova
geração de jogadores.
Da mesma forma, os Mundiais masculinos e femininos
nas categorias sub-19, sub-21 e (pela primeira vez
neste ano) sub-23 ofereceram a oportunidade de novas
caras no cenário do voleibol mostrarem o seu potencial
para o mundo todo ver.
Igualmente importante é o fato de que novos países
têm sido capazes de disputar e dar uma representação
completa a todas as confederações afiliadas à FIVB
nestes grandes torneios. O desafio agora para
estes jogadores e países é avançar e demonstrar
competitividade em nível internacional na categoria
adulta. Resta saber quantos chegarão às seleções
nacionais para o Campeonato Mundial de Vôlei
Feminino da FIVB do ano que vem na Itália, e para o
Masculino na Polônia.
Chegar a este patamar já é algo extremamente difícil.
O sucesso dependerá de uma combinação de talento,
boa forma, trabalho duro e uma pitada de sorte. Tudo
isso o Brasil conseguiu reunir no Japão, e por isso o país
sul-americano está mais uma vez comemorando o fato
de estar no topo do voleibol feminino mundial.
18
Presidente da FIVB:
Dr. Ary S. Graça F°
1
EDITORIAL
I,II 2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,...26
Powered by FlippingBook